Varanda 1

A Varanda, na avenida Cidade Jardim, em São Paulo, foi inaugurada efetivamente no final dos anos 80. Mas começou em 1971 com um caminhão de bananas. Logo os cinco irmãos da família Tavares  foram percebendo que aquele ponto, porta de entrada para o bairro do Morumbi, tinha potencial para muito mais. ” Os moradores começaram a pedir outras coisas além das frutas, como fósforos, exemplo. E assim, pela demanda, o negócio foi ganhando outra cara até se tornar uma delicatessen”, explica Leonardo Tavares, diretor de operações da rede Varanda, e filho de um dos fundadores, Argeu.

Em 2011, a família Tavares decidiu expandir  e abriu a primeira loja em shopping, no Vila Olímpia em São Paulo. Agora, investe R$5 milhões em mais uma unidade, desta vez no shopping Pátio Paulista. A loja terá 900 metros quadrados e será inaugurada em outubro. “Ela terá muitas surpresas na comunicação visual. Um dos herdeiros, César Tavares, é artista plástico e está cuidando de todas as identificações de área com ilustrações feitas à mão.” O teto será preto e a iluminação 100% de LED.  A nova loja terá 90 funcionários. No total a rede passará a ter uma equipe 360 pessoas.

Como nas outras unidades, a Varanda do shopping Pátio Paulista terá padaria própria, itens gourmet, uma seleção especial de vinhos e bebidas, e frutas frescas, claro. “Ninguém entra na Varanda para fazer compra do mês. Mas nosso clientes entram na loja em média duas vezes por semana em busca de produtos frescos e confiáveis. Mesmo no shopping Vila Olímpia, que fica numa área mais comercial é assim.”

Na nova unidade, Tavares pretende atender a um público parecido com a loja do Cidade Jardim. “Vai ser um misto de moradores com pessoas que trabalham na região. Pelo estudo apresentado pelo shopping, 75% dos frequentadores são da classe A.”

Passados 45 anos, as frutas continuam sendo o destaque da Varanda. “Os fornecedores sempre separaram os melhores itens para nós porque desde o início meu pai e seus irmãos pagavam mais para ter qualidade. E o cliente reconhece isso. Para se ter uma ideia, as frutas representam 11,6% do faturamento e temos em linha hoje mais de 20 mil itens ativos à venda.”