Os viajantes experimentados, em especial os com milhagem em navios, buscam surpresas que um tour no Caribe não proporciona mais. Na próxima semana, a Qualitours anuncia novos roteiros para atender a clientes que valorizam aventuras. Entre as empresas que participam do lançamento estão a Ponant, Silversea e Un-Cruises. Um dos cruzeiros para o Alasca terá a curadoria do documentarista Lawrence Wahba, que vai acompanhar o grupo em expedições a lugares “totalmente fora do catálogo”.

No dia 3 de agosto (quarta-feira), na Livraria da Vila do shopping JK Iguatemi, a partir das 20h, o moço faz uma palestra- aperitivo batizada de “Viajando por Todas as Manhãs do Mundo”, título inspirado no nome de sua série televisiva exibida pelo canal National Geographic, em outubro de 2015. Ilya Hirsch, diretor da Qualitours, explica um pouco mais do projeto.

safari cruzeiro alasca

 

O que viajantes terão de diferente na expedição com Lawrence Wahba? E qual o público alvo?

Ilya Hirsch: A tendência mundial para quem tem o hábito de viajar em navios principalmente é agregar conhecimento e valor à sua viagem visitando novos destinos pouco desvendados, experiências únicas, contato com povos e suas culturas, proximidade com a natureza, além do crescente interesse em preservação dos mares e meio ambiente. O público alvo é este  “jovem de qualquer idade” que busca uma experiência única com um cinegrafista especialista em tudo que a natureza oferece. Estar mais perto de quem conhecemos pelo seu trabalho e divulgação, buscar uma vivência que todos gostaríamos de experimentar um dia.

O sr. poderia ser bem específico sobre quais lugares um cruzeiro como esse vai mostrar para os viajantes que nenhum outro mostra? E que tipo de interação será feita nestes lugares?

Hirsch: O destino Alasca é dos mais procurados no mundo e principalmente em cruzeiros pelo mais fácil acesso por mar às suas atrações naturais. Diferente dos grandes navios, os barcos e iates da UnCruise Adventures são menores com grande flexibilidade para manobras que permitem chegar mais próximos de impressionantes geleiras e ouvir de mais perto o estrondo da ruptura das placas de gelo, visita a Parque Nacional acompanhado de um guarda florestal, exploração de cavernas e fiordes, caminhadas por florestas. Além de ser possível explorar lugares remotos escolhidos pelo capitão do barco que não constam das publicações de turismo, passeios em caiaques e stand up paddle, enfim, momentos únicos e não planejados de alteração de itinerários em função de uma nova atração presente. É possível visitar centros de reabilitação de animais e aves do Alasca, ver de muito perto a águia careca típica do Estado, ter uma interação que um grande cruzeiro que não lhe dá.