***A loja de mil m² da Baccarat em São Paulo, inaugurada em 2013 na alameda Gabriel Monteiro da Silva, fechou as portas na sexta-feira (21 de julho). A promessa é que reabra em setembro na mesma rua, mas com um quinto do espaço original.

A mudança se deve a um “pedido dos novos controladores da marca” para que a loja deixasse de atuar como uma multimarcas, deixando de comercializar também peças das grifes Lladró, Casa Bugatti, Vista Alegre e Christofle. Marcas que passarão a ser vendidas apenas na Began Antiguidades, representante da Baccarat no país.

Segundo Luiz Cláudio Began, responsável pela operação da cristaleria por aqui, um segundo espaço conceitual, batizado de Bar Baccarat, ainda está nos planos, mas sem data de abertura.

Em 2016, a marca registrou crescimento de 20% nas vendas e 30% no tíquete médio no Brasil, de acordo com entrevista do próprio Began publicada em 06.02 no Angela Klinke Report.

Mas no início de junho a empresa francesa de cristais fundada há 253 anos foi comprada pelo fundo de investimento chinês Fortune Fountain Capital Ltd. por 164 milhões de euros, encerrando mais de uma década sob a administração do fundo americano Starwood Capital, que comprou a marca da família Taittinger, em 2005.

Ao longo dos quatro últimos anos a empresa tem registrado queda no faturamento. Desde 2010, só dois anos não teve resultado negativo. Em 2016, a Baccarat totalizou faturamento de 148,4 milhões de euros e lucro de 3,2 milhões de euros. A compra deverá acelerar os planos de expansão da marca na Ásia e Oriente Médio.

***este post foi originalmente publicado no Angela Klinke Report, newsletter com análises e informações exclusivas sobre o mercado de luxo e lifestyle. Para saber mais sobre nossos modelos de assinatura escreva para angelaklinkereport@gmail.com