A serpente, que simboliza a vida e o renascimento, se enrosca na caneta comemorativa dos 110 anos de fundação da Montblanc. A peça única de 1,2 milhão de euros é um “tributo” ao trabalho artesanal e à joalheria. No topo tampa, por exemplo, há um diamante com 6,15 quilates com lapidação e fixação exclusivas que permitem maior reflexão da luz.